Poesia Contemporânea das Redes Sociais Virtuais: a participação do ciberconsumidor na difusão da marca Eu me chamo Antônio

Marialda de Jesus Almeida, Rita de Cássia Donato dos Santos

Resumo


Este artigo aborda o consumo da poesia nas redes sociais virtuais e discute como a Internet é estratégica na difusão de expressões artísticas e subprodutos derivados de uma obra. Para além desta relação, observa-se como o internauta pode ser corresponsável pela produção e distribuição de determinada arte no ciberespaço. Optou-se por realizar um estudo de caso único holístico da marca “Eu me chamo Antônio”, cuja visibilidade nas mídias sociais favoreceu a criação de produtos e o engajamento de seus seguidores para promover a linha no ambiente on-line. A metodologia respeita a análise documental qualitativa do conteúdo coletado no Facebook e no Instagram dessa personagem entre julho e setembro de 2016. Os resultados indicam a preferência do ciberconsumidor em propagar posts ligados à arte, mesmo quando a publicidade está implícita.   


Palavras-chave


Eu me chamo Antônio. Ciberconsumidor. Poesia. Redes sociais virtuais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Diretório e Indexadores