Novos repertórios de ação e a invisibilidade dos movimentos sociais pela mídia, por Cristiana Losekann

Dione Oliveira Moura, Liziane Guazina, Luana Mellody V. Brasil

Resumo


Pesquisadora dos processos de participação dos movimentos sociais nas políticas ambientais no Brasil, a Professora da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) Cristiana Losekann tem se notabilizado por uma produção intelectual que transcende a compreensão dos fenômenos sociais e alcança a dimensão do exercício da cidadania das populações afetadas por estas políticas. Ao analisar o impacto do maior desastre ambiental do Brasil – o rompimento da Barragem da empresa Samarco/Vale/BHP Billiton, em Minas Gerais –, Losekann e equipe revelam o complexo jogo de interesses entre mineradoras e agentes públicos, a precarização do trabalho e apontam a profunda desigualdade ambiental que impacta na vida das populações atingidas.

Na entrevista a seguir, a pesquisadora defende que a mídia tem um papel importante para os movimentos sociais, papel ainda a ser melhor explorado. Muitas vezes, no entanto, afirma a entrevistada, a mídia tem colaborado no processo de invisibilização de pautas e atores dos movimentos sociais. Losekann, doutora em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), apresenta também pesquisas que identificam novas formas de organização dos movimentos ambientalistas e sociais, por meio da criação de outros modos de atuação, os quais possibilitem participação mais efetiva contra o desmonte da legislação ambiental e das tentativas de privatização de territórios, corpos e vidas por diferentes atores econômicos.


Palavras-chave


mídia, movimentos sociais, invisibilização

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Diretório e Indexadores