AS PRAÇAS COMO SÍMBOLOS DA MODERNIDADE E OS PROJETOS DE ROSALVO RIBEIRO DURANTE A ERA MALTINA (1900-1912) EM MACEIÓ - AL

Tharcila Maria Soares Leão, Josemary Omena Passos Ferrare

Resumo


A transição entre os séculos XIX e XX foi caracterizada por configurar um período de grandes transformações urbanas nas cidades brasileiras, especialmente após a instauração da República. Entre outras coisas, buscava-se dotar as cidades de um aspecto mais moderno e próspero criando uma imagem de cidade que representasse o novo regime político implantado. Em Maceió esse início do século XX foi marcado por um surto modernizador especialmente durante a gestão da família Malta, quando foi contratado o artista alagoano Rosalvo Ribeiro, recém chegado de Paris, que elaborou projetos de remodelação para as principais praças da cidade. O presente artigo busca demonstrar o papel desses espaços públicos como símbolos da modernidade almejada naquele momento. A partir da análise conjunta de cartões postais, relatórios e demais documentos primários, buscar-se-á fazer emergir a ação do artista Rosalvo Ribeiro na modernização da cidade e, decorrentemente, ampliar o conhecimento acerca de sua obra.


Palavras-chave


modernização urbana; praças; Rosalvo Ribeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


Álbum lembrança da Exposição Nacional de 1908. Rio de Janeiro.(1908). Rio de Janeiro: Editores: Chromo – Typo – Art – Nouveau.

Araújo, J. J. (1904). Mensagem que ao Conselho Municipal dirige o Intendente da Capital Dr Joaquim José de Araújo em 1903. Maceió: Typographia da empreza Gutenberg.

Araújo, S. G. de (2002). Mirar a Cidade de Maceió: visões sobre as praças Mal. Deodoro da Fonseca e Mal. Floriano Peixoto no início do século XX. Trabalho Final de Graduação, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil.

Azevedo, M. K. S. (2014). Estudo sobre a construção da paisagem das praças Dom Pedro II, Marechal Floriano Peixoto, Marechal Deodoro. Trabalho Final de Graduação, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL, Brasil.

Bittencourt, E. V. (1987). Picadas e ferroadas. Memórias. Maceió: Edufal.

Campello, M. de F. de M. B. (2009). A construção coletiva da imagem de Maceió: Cartões-postais 1903/1934. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Campos, C. L. R. T. P. (1993). Alagoas: a pintura como produção social – trajetória e crítica (1892-1992). Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Diegues , M., Jr. (1939). Evolução urbana e social de Maceió no período republicano. In: COSTA, Craveiro. Maceió. Maceió: Edições Catavento.

Ferrare, J. O. P. (1999). O excelente sobrado da Avenida da Paz. Justificativa do projeto de Restauro do Museu Theo Brandão. FAU – UFAL.

Fortes, C. N. R. (2011). Maceió nos itinerários de Pedro Nolasco Maciel. In: Almeida, L. S. (Org.). Traços e troças: literatura e mudança social em Alagoas: estudos em homenagem a Pedro Nolasco Maciel. Maceió: EDUFAL.

Leão, T. M. S. (2010). A história da paisagem da Praça Dom Pedro II em Maceió-AL. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Lima, F., Jr. (2014). Maceió de Outrora. Volume I. Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

Marques, M., S. (1906). Mensagem que ao Conselho Municipal apresentou o Intendente Dr. Manoel Sampaio Marques em 1906 (1906). Maceió: Arquivo Público de Alagoas.

Moura, M., B., F. (2000). O cenário da vida urbana: a definição de um projeto estético para as cidades brasileiras na virada do século XIX/XX. João Pessoa: Editora Universitária UFPB.

Nogueira, A., G. (1909). Mensagem apresentada ao Conselho Municipal da capital na sessão de 7 de janeiro de 1909 pelo Intendente Antonio Guedes Nogueira (1909). Maceió: Arquivo Público de Alagoas.

Silva, A. F. (2007). O projeto paisagístico dos jardins públicos do Recife de 1872 a 1937. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Tenório, D. A. (1997). A Metamorfose das Oligarquias. Curitiba: HD Livros.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

InSitu – ISSN 2446-9696

Indexadores: Sumários.org | Diadorim | Latindex | REDIB | CiteFactor | ERIH PLUS

Licença Creative Commons