As três fases de João Batista Vilanova Artigas

Samantha Palma da Silva, Alessandra Castelo Branco Bedolini

Resumo


A obra do arquiteto João Batista Vilanova Artigas tem sido objeto de estudo de muitos pesquisadores, porém as várias descrições de sua obra sempre têm contradições. O estudo visa demonstrar a ligação formal das três fases do arquiteto, e como sua trajetória chegou ao ápice com o Brutalismo. A abordagem proposta prevê a descrição das abordagens desenvolvidas até o momento, que vinculam a originalidade da linguagem arquitetônica de Artigas ao contexto histórico e aos precedentes arquitetônicos.

Para isso será feita a análise de um conjunto de três projetos representativos de cada fase: a Casa Rio Branco Paranhos - 1943 (fase wrightiana); a Estação Rodoviária de Londrina – 1948 (fase corbusiana); o Edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP – 1961 (fase brutalista). Espera-se, assim, despertar o interesse para aplicação do método no desenvolvimento de projetos de ensino, contribuindo para a História da Arquitetura e para a qualidade do trabalho dos atuais e futuros profissionais.


Palavras-chave


História da Arquitetura; João Batista Vilanova Artigas; Arquitetura Moderna Brasileira; Brutalismo; Escola Paulista

Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque, R. P. (1998) Caderno dos riscos originais “Projeto do edifício da FAUUSP na Cidade Universitária”. São Paulo: FAU-USP.

Artigas, J. B. V. (2004) Caminhos da Arquitetura. São Paulo: Cosac & Naify.

Artigas, J. B. V. (1978). Transcrição do depoimento: Filme Vilanova Artigas, espaço e programa para a FAU. São Paulo: Acervo FAU-USP.

Bruand, Y. (1998) Arquitetura Contemporânea no Brasil. São Paulo: Perspectiva.

Buzzar, M. (1996) João Vilanova Artigas: elementos para a compreensão de um caminho da arquitetura brasileira. (1938-1962). Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Contier, F. de A. (2013) O edifício da FAUUSP e os materiais do brutalismo. São Paulo: Atas do X Seminário DoCoMoMo Brasil.

Costa, C. (2015) Ocupação Vilanova Artigas. São Paulo: Itaú Cultural.

Cruz, D. de M. (2010) A influência de Frank Lloyd Wright sobre João Batista Vilanova Artigas – uma análise formal. Tese de Doutorado, UNICAMP, Campinas, Brasil.

Cunha, G. R. da (2009). Uma análise da produção de Vilanova Artigas entre os anos de 1967 a 1976. Dissertação. São Carlos. Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo.

Ferraz, M. C. (1997) Vilanova Artigas. São Paulo: Instituto Lina e P. M. Bardi.

Irigoyen, A. (2002) Wright e Artigas - duas viagens. São Paulo: Ateliê Editorial; FAPESP.

Jucá, C. B. de M. (2006) Joã5ro Batista Vilanova Artigas, Arquiteto: A gênese de uma obra (1934-1941). Tese de Doutorado, UnB, Brasília, Brasil.

Kamita, J. M. (2000) Vilanova Artigas. São Paulo: Cosac&Naify.

Katinsky, J. (2003) Vilanova Artigas. São Paulo: Instituto Tomie Ohtake.

Medrano, L., Recamán, L. (2013) Vilanova Artigas - Habitação e cidade na modernização brasileira. Campinas: UNICAMP.

Milheiro, A. V. (2001) A cidade é uma casa. A casa é uma cidade: Vilanova Artigas arquiteto exposição. Almada: Casa da Cerca.

Nehme, R. P. (2001) Estrutura e Forma, a valorização do aspecto construtivo, o terceiro Vilanova Artigas. Dissertação. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ohtake, R. (1988). Escola Paulista: depoimentos. Arquitetura e Urbanismo. São Paulo, n°17. Abr,maio/1988 p 57/58, 1988.

Pisani, M. A. J.; Correa, P. R. (2007) Rodoviária de Londrina: Tempo, Transformação e outros usos. São Paulo: FAU Mackenzie.

Puntoni, A. (1997). Vilanova Artigas. São Paulo: Instituto Lina e P.M. Bardi.

Razuk, A. (2015) Ocupação Vilanova Artigas. São Paulo: Itaú Cultural.

Sanvitto, M. L. A. (1994) Brutalismo Paulista: Uma análise compositiva de residências paulistas entre 1957 e 1972. Dissertação. Porto Alegre. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Weber, R. (2005) A linguagem da estrutura na obra de Vilanova Artigas. Tese de Doutorado, PROPAR UFRGS, Porto Alegre, Brasil.

Zein, R. V. (2013) IV Seminário DoCoMoMo Sul. São Paulo: FAUUSP.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

InSitu – ISSN 2446-9696

Indexadores: Sumários.org | Diadorim | Latindex | REDIB | CiteFactor | ERIH PLUS

Licença Creative Commons