FORMA & ESPAÇO: UM RESGATE NO UNIVERSO DA ARTE COMO INTRODUÇÃO AO PROJETO DE ARQUITETURA

Haroldo Gallo

Resumo


Ao instituir seu curso de arquitetura e urbanismo a Unicamp aplicou como princípio o reconhecimento da vocação interdisciplinar ao estabelecer uma nova aproximação da arquitetura com os saberes da arte, da técnica e da história. Ao invés de uma unidade autônoma, propôs um curso integrado por três áreas de conhecimento: a arte, a história e a engenharia. Dessa operação tripartite mantém-se, na experiência didática objeto desse relato, o princípio interdisciplinar harmonizado com a identidade e especificidade da profissão de arquiteto. Trata-se da disciplina “Introdução à Arquitetura”, primeira na sequência de dez projetos do curso: serão aqui expostos seus objetivos, conteúdos, processos, estratégias e procedimentos. Introdutória ao projeto enquanto processo e à arquitetura enquanto fenômeno, seu objeto é a “iniciação ao pensar e fazer arquitetônico”. Nela, a reflexão crítica e conceitual é desenvolvida interativamente com a prática do projetar, sempre mediada pelos instrumentos de representação. É um processo de constante ir e vir das formas abstratas do pensamento à materialidade construída. A partir da hipótese do projeto enquanto composição e da arquitetura enquanto construção, promovem-se aproximações com exemplares referenciais, enriquecendo repertórios. Ministrada concomitantemente por arquitetos do Instituto de Artes e da Faculdade de Engenharia, a disciplina percorre, pela ação criativa, universos de conhecimentos consagrados nas áreas da arte e da técnica, aplicando os instrumentos propositivos do projeto, na configuração e simulação da forma e do espaço. Ao invés de pretender criar novos instrumento de projeto promove-se um particular agenciamento e ênfase àqueles já consagrados. Foipossível constatar o êxito dos estudantes na aquisição das habilidades específicas, em curto espaço de tempo e antecipadamente ao desenvolvimento mais amplo de fundamentos. Aplicando a didática do “learning by doing” os estudantes realizam três experimentos, criativos e analíticos: composição bidimensional; leitura e análise de repertório arquitetônico; proposição tridimensional/ espacial, a partir da decomposição e recomposição de sólidos geométricospuros.


Palavras-chave


Arquitetura e Arte; Pensamento de Projeto; Criatividade e Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF

Referências


Arnheim, R. (1991). Arte e Percepção Visual. São Paulo: Pioneira. Bachelard, G. (1988) Poética do Espaço. São Paulo: Editora Eldorado.

Baker, G. H. (1998). Le Corbusier: uma análise da forma – São Paulo: Martins Fontes. Calvino, I. (1990). Seis Propostas para o próximo milênio. São Paulo, Cia das Letras. Ching, F. D. K. (1982). Arquitectura: forma, espacio y orden – Mexico: Gustavo Gili. DONDIS, D. (1986). La sintaxis de la imagen. Barcelona: Gustavo Gili.

Flório, W.; GALLO, H.; Santanna, S. S. e Magalhães, F. (2002) Projeto residencial moderno e contemporâneo – volume I: residências nacionais e volume II: residências internacionais. Análise gráfica dos princípios de forma, ordem e espaço de exemplares da produção arquitetônica residencial. São Paulo: Editora MackPesquisa.

Hall, E. T. (1977). A Dimensão Oculta. Editora Francisco Alves, Rio de Janeiro. Hertzberger, H. (1996). Lições de Arquitetura. São Paulo: Martins Fontes.

Lemos, C. A. C. (1980) O que é a arquitetura. São Paulo: Brasiliense.

Pallasmaa, J. (2013). As mãos inteligentes: a sabedoria existencial e corporificada na arquitetura. Porto Alegre: Bookman Editora.

Pedrosa, I. (1977). Da cor à cor inexistente – Rio de Janeiro: Leo Chistiano Editorial Ltda. Snider, J., Catanese, A. (1984). Introdução à Arquitetura. Rio de Janeiro: Campus.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

INDEXADORES: DOAJ | Diadorim | REDIB | Latindex | Sumários.org | ERIHPLUS | CiteFactor | MIAR

Licença Creative Commons