Se perdeu na tradução? Feminismo negro, interseccionalidade e política emancipatória

Patricia Hill Collins

Resumo


Neste ensaio, foco em como as ideias e práticas de interseccionalidade mudaram de forma e propósito conforme foram traduzidas nos diferentes contextos materiais, sociais e intelectuais.  Para tanto, mapeio as mudanças de contorno do feminismo negro e da interseccionalidade em três períodos: (1) como o feminismo negro, no contexto de movimento social, adotou perspectivas de raça, classe, gênero e sexualidade como sistemas de intersecção de poder, (2) como essas ideias chegaram à academia inicialmente sob a rubrica de estudos de raça/ classe/gênero e subsequentemente foram nomeadas e legitimadas como interseccionalidade; (3) as implicações da legitimação acadêmica de interseccionalidade para as políticas emancipatórias contemporâneas.

Palavras-chave


feminismo negro; interseccionalidade; política emancipatória

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Diretório e Indexadores